"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a ‘Esporte e Saúde’ Categoria

Arte RatoFX

Arte RatoFX

O mastologista Ruffo de Freitas Júnior diz que o ideal é que as mulheres mantenham o índice de massa corporal abaixo de 25

Um estudo publicado recentemente no jornal “Cancer Epidemiology, Biomakers & Prevention” aponta que uma hora de exercício físico por dia diminui o risco de câncer de mama em até 14%, em comparação com mulheres que caminham menos de três horas por semana. A informação foi divulgada pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) para celebrar o Dia Mundial de luta contra o câncer, comemorado nesta terça-feira (8/4).

“A incidência do câncer está ligada ao sedentarismo. Exercício físico e perda de peso são fundamentais para a saúde da mulher”, esclarece Ruffo de Freitas Júnior, presidente da SBM. Ele também lembra que mudanças na dieta para reduzir o colesterol ajudam na prevenção de células cancerígenas.

O mastologista diz que o ideal é que as mulheres mantenham o índice de massa corporal abaixo de 25, pois quanto maior o peso e a idade, maiores as chances da mulher de desenvolver câncer de mama, principalmente no período após a menopausa. Isso porque um dos principais hormônios produzidos pelo tecido gorduroso é o estrógeno, que serve como ‘combustível’ para as células cancerígenas, explica ele.

Do Correio Braziliense

Acompanhada do ministro do Esporte, presidente se encontra com cruzeirense e juiz Márcio Chagas, que sofreram discriminação em estádios recentemente

Presidente Dilma Roussef posa entre Márcio Chagas Filho e o cruzeirense Tinga (Foto: Divulgação Planalto.gov.br)

A presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, o volante Tinga, do Cruzeiro, e o árbitro gaúcho Márcio Chagas da Silva, que foram vítimas recentemente de ofensas racistas em estádios de futebol. O encontro foi solicitado pela própria presidente, que queria demonstrar pessoalmente sua solidariedade aos dois. Dilma aproveitou para reforçar também o objetivo do governo de usar a Copa do Mundo para combater o racismo no país.

- Foi um encontro interessante. A presidente se preocupou com as situações que ocorreram no último mês, e tive a oportunidade de falar sobre outras coisas que também acontecem no nosso país em termos de preconceito, seja com religião, opção sexual, forma física, entre outros – relatou Tinga após o encontro.

- Ela (Dilma) se mostrou solidária pelos fatos que aconteceram comigo, com o Tinga, com o Arouca, e tantas outras pessoas que sofrem preconceito no seu dia a dia. É importante encamparmos algo que faça com que a população comece a se dar conta do que está acontecendo e agir de forma que isso seja minimizado. Não podemos ter a utopia de que vai acabar, mas podemos conseguir minimizar com mobilização, mostrando o que acontece, e não mascarando como vinha sendo feito – completou Márcio Chagas.

Além do jogador e do árbitro, também participaram da reunião o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), e o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República. Durante o encontro, a presidente recebeu de Tinga um livro e uma camisa do Cruzeiro. Atleticana, Dilma brincou com os presentes.

- O povo do Atlético vai me matar – disse a presidente sorrindo.

O volante Tinga foi hostilizado por torcedores do Real Garcilaso, do Peru, durante partida do Cruzeiro pela Libertadores, no dia 12 de fevereiro. Na ocasião, torcedores do time peruano ficaram imitando sons de macaco a cada toque do volante cruzeirense na bola.

Já o árbitro Márcio Chagas da Silva encontrou bananas no seu carro após partida entre Esportivo e Veranópolis, pelo Campeonato Gaúcho, no dia 6 de março (acompanhe agora o julgamento do Esportivo, denunciado por racismo, em Tempo Real).

Outro caso de racismo no Brasil também foi registrado recentemente. O volante Arouca, do Santos, foi chamado de macaco por torcedores no momento em que concedia entrevista após a vitória por 5 a 2, sobre o Mogi Mirim, pelo Campeonato Paulista, no dia 7 de março.

- Na minha opinião, no nosso país temos todo o tipo de preconceito. Também manifestei isso e falei para a presidente que acredito que somente através da educação é possível resolver. A educação é o que nos faz pensar nos outros – disse Tinga.

Leia o restante »

Susie Wollf, pilota de desenvolvimento da Williams (Foto: Divulgação)

Pilota de desenvolvimento da Williams guiará o FW36 em dois treinos livres durante 2014. Chefe adjunta, no entanto, não tem planos para inglesa virar titular futuramente

No início desse mês, a Sauber anunciou Simona de Silvestro como pilota afiliada. Trata-se de um programa de preparação, com testes de pista, simuladores, preparação física e psicológica para que a suíça de 25 anos adquira a superlicença e se torne pilota titular em 2015. Nesta segunda-feira, a Williams confirmou a permanência de outra presença feminina na F-1: Susie Wolff, de 31 anos, continua no papel de pilota de desenvolvimento. Neste ano, porém, o contrato de Susie prevê um avanço: a oportunidade de guiar, ao longo do ano, o FW36 em dois treinos livres das sextas-feiras, em GPs ainda não definidos. Isso fará da britânica a primeira mulher a participar de um fim de semana de GP desde a italiana Giovanna Amati, que em 1992 disputou treinos classificatórios em três ocasiões tentando, sem sucesso, classificar-se para corridas. No entanto, Claire Williams, chefe adjunta da equipe, explicou que, apesar do desejo da pilota de 31 anos em se tornar titular algum dia, não há planos para que a britânica assuma esse posto futuramente no time dos brasileiros Felipe Massa e Felipe Nasr.

- Susie tem trabalhado como pilota de desenvolvimento para o time, o que é um trabalho muito importante em razão de a Fórmula 1 ser uma corrida de desenvolvimento. Ela trabalha com nossos engenheiros na fábrica para ajudar no desenvolvimento do carro. Mas temos pilotos titulares e reservas e Susie tem um papel de valor e está exercendo bem esse papel no momento – explicou.

Do Globo Esportes

Seleção Feminina de Futebol

A Seleção Brasileira estreou nesta quinta-feira (12) no Torneio Internacional de Brasília com vitória sobre o Chile. O placar foi de 2 a 0, no Estádio Nacional Mané Garrincha, com gols de Marta e Thaisa.

Apesar de não ter perdido em nenhuma estreia nas cinco edições do Torneio, há sempre o nervosismo e a ansiedade. Mas nada que atrapalhasse a Seleção dentro de campo.

Quando a bola rolou, as jogadoras foram muito disciplinadas e fizeram exatamente o que o treinador Márcio Oliveira e sua comissão técnica pediram: iniciar a partida pressionando a saída de bola.

Foram necessárias quatro tentativas em menos de 20 minutos para o Brasil abrir o placar com Marta. Rosana deu um belíssimo passe, a camisa 10 deixou a goleira Endler no chão e marcou o primeiro.

A Seleção não estava satisfeita: queria mais e por isso continuou pressionando a saída de bola e chegando com frequência ao gol adversário.

Thaisa fez seu primeiro gol com a camisa canarinho. Cristiane, muito bem marcada, encontrou Thaisa livre. A volante ficou cara a cara com a goleira chilena e bateu cruzado: 2 a 0 Brasil.

Na primeira etapa, o Chile não chutou sequer uma vez contra o gol de Luciana.

Marta teve chance de aumentar o marcador em cobrança de falta, mas a goleira Endler fez uma belíssima defesa.

O primeiro chute das chilenas não ameaçou a goleira Luciana, em cobrança de falta – a bola passou muito longe do gol brasileiro.

Andressa entrou no segundo tempo e teve duas oportunidades seguidas, mas a goleira defendeu.

No primeiro jogo do dia, o Canadá derrotou a Escócia por 2 a 0. Brasil e Canadá estão empatados em primeiro lugar no Torneio.

Do CBN Foz

Diana Nyad

Diana Nyad

A norte-americana de 64 anos que nadou 177 km de Cuba até a Flórida prometeu nesta terça-feira arrecadar dinheiro para vítimas de furacões, tornados e atentados a bomba através de provas de resistência numa piscina.

“Já tive o suficiente de oceano”, disse Diana Nyad, falando a redes de televisão dos Estados Unidos.

A nadadora disse que iria continuar a nadar longas distâncias em uma piscina portátil a ser instalada em Nova York. Ela prometeu nadar 48 horas entre 8 e 10 outubro para arrecadar dinheiro para as pessoas que ficaram sem casa no ano passado após a passagem do furacão Sandy.

“Sem ondas, sem água-viva, sem enjoo”, disse ela à CNN, referindo-se à piscina.

Em seguida, ela planeja levar a piscina para Boston, onde pretende arrecadar dinheiro para as vítimas das bombas que explodiram na Maratona de Boston, em 15 de abril, e mais tarde para Moore, Oklahoma, para arrecadar dinheiro para as vítimas de um tornado que devastou a cidade em maio passado.

“Minha mensagem hoje é: ‘Não vamos esquecer de vocês’”, disse Nyad às vítimas.

Nyad tornou-se a primeira pessoa a atravessar o estreito da Flórida a partir de Cuba sem uma gaiola de tubarão, completando o trajeto em 53 horas, na segunda-feira, após quatro tentativas anteriores, a primeira em 1978. Ela estabeleceu um recorde para o mais longo percurso a nado no oceano sem uma gaiola de tubarão ou pé de patos, de acordo com sua equipe.

Nyad creditou à ausência de águas-vivas, as quais ela chamou de os animais mais mortais do oceano, o sucesso da atual tentativa. Ela usou uma máscara para protegê-la das águas-vivas, embora a peça tenha permitido que a água do mar entrasse em sua boca, criando feridas e provocando sucessivos vômitos durante o nado.

Do UOL

Rafaela Silva conseguiu vingar derrota de Ketleyn Quadros para americana e entrou para a história do judô feminino do Brasil Foto: Daniel Ramalho / Terra

Medalha de prata no Mundial de Paris em 2011, a brasileira Rafaela Silva foi além na edição deste ano, no Rio de Janeiro. A atleta nacional venceu a americana Marti Malloy nesta quarta-feira por ippon na decisão da categoria até 57 kg e, de quebra, conquistou não só o primeiro ouro do Brasil na edição de 2013 do Mundial como também a primeira medalha dourada do País na história das categorias femininas do Mundial de Judô.

O duelo pelo ouro começou favorável à brasileira, que viu a americana tomar um shido com poucos segundos. Com menos de um minuto, Rafaela Silva conseguiu um ippon e deu o primeiro ouro para o País no Ginásio do Maracanãzinho. A vitória levou os torcedores ao delírio no ginásio e fez Rafaela Silva, bastante emocionada, cair no choro.

A americana Marti Malloy havia passado pela brasileira Ketleyn Quadros nas eliminatórias pela manhã, antes de encarar Rafaela na grande decisão Já Rafaela Silva enfrentou na semifinal a francesa Automne Pavia, adversária com quem tinha o histótico de uma derrota e uma vitória. A atleta nacional conseguiu um wazari para chegar à final.

O confronto semifnal foi marcado por uma polêmica de que a francesa teria batido a mão no chão enquanto a brasileira a prendia, o que acarretaria o encerramento da luta. Mesmo assim, Rafaela Silva conseguiu avançar.

Nas disputas pelas medalhas de bronze, a primeira luta foi entre Anzu Yamamoto, do Japão, e Vlora Bedeti, da Eslovênia. Quem levou a melhor foi a eslovena, que viu a japonesa levar três shidos e chorou com a vitória.

Já no segundo confronto pelo bronze, entra a alemã Miryam Roper e a francesa Automne Pavia, quem ficou com a medalha foi a alemã, que cravou um ippon para sair com a medalha.

Do Terra

Marta Suplicy

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, lançou hoje (8) o Edital Cultura, que repassará R$ 18,8 milhões para a programação cultural durante a Copa do Mundo de 2014, nas 12 cidades-sede da competição: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Recife e Salvador. Serão aceitas mais de 206 propostas que resultarão em 1.200 apresentações nestes municípios, no período de 10 de junho a 15 de julho do ano que vem. Além disso, R$ 17,5 milhões serão destinados à revitalização de equipamentos culturais nas 12 cidades.

De acordo com Marta Suplicy, que lançou o edital na área onde está sendo construída a Arena Corinthians, em Itaquera, as inscrições começam amanhã (9) e poderão ser feitas até 23 de setembro pelo pelo sistema SalicWeb no site do Ministério da Cultura. Uma comissão formada por representantes da sociedade civil, das secretarias de Cultura das 12 cidades-sede da Copa e do Ministério da Cultura escolherá os projetos que serão beneficiados.

O edital está dividido em quatro eixos nos quais os projetos deverão se encaixar: Brasil Audiovisual (produção audiovisual em média metragem, documentários, animação e ficção), Brasil Criativo (conteúdos artísticos em formato digital, de artesanato, moda, arquitetura, design e gastronomia, sempre de expressão local), Brasil Diverso (manifestações tradicionais, atividades entre Pontos de Cultura) e Brasil das Artes (espetáculos de música, teatro, circo, dança, literatura e artes visuais).

Marta explicou que os projetos circularão pelo país para que um estado conheça a cultura do outro, o que nem sempre acontece. “A cultura é a identidade do país, nossa cultura tem uma identidade nacional forte, positiva, com o samba, o futebol, o carnaval. O que nós temos que fazer é ampliar essa identidade porque somos muito além disso. Temos que mostrar o que as pessoas não conhecem, inclusive de um estado para o outro.”

A ministra ressaltou que o edital foi criado justamente para vencer o desafio de mostrar mais da essência cultural do país para os visitantes, que só conhecem o samba, o futebol e o carnaval. “Queremos mostrar os médios e pequenos grupos, porque os grandes já têm patrocínio”. Com a divulgação dos projetos, a ideia é dar a esses grupos oportunidade de se apresentar e deixar um legado cultural pós-Copa do Mundo, que se espalhe para os outros países, acrescentou a ministra.

Ela informou que a revitalização dos equipamentos será financiada pelo Fundo Nacional de Cultura e que, dos R$ 17,5 milhões, R$ 9 serão liberados ainda neste ano. “Nós temos ainda R$ 20 milhões da Petrobras para reforma dos museus, R$ 2 milhões para flash mob (manifestações culturais coletivas), R$ 12 milhões para fun fest (espaços montados para exibição dos jogos) e R$ 4 milhões para comunicação”.

Cada cidade-sede enviou ao Ministério da Cultura uma lista dos equipamentos que gostaria de reformar para a Copa do Mundo.

Da Agência Brasil

Em seis meses de legalização, Uruguai não registra mortes de mulheres que abortaram. Foram realizados 2.550 abortos legais. Uruguai se torna um dos países com taxas de aborto mais baixas do mundo

Mulheres realizaram campanhas na frente do Congresso do país pela aprovação do projeto, no final do ano passado (Foto: Divulgação)

O subsecretário do Ministério da Saúde Pública do Uruguai, Leonel Briozzo, apresentou nesta semana os dados oficiais sobre interrupções voluntárias de gravidez dos primeiros seis meses desde a sua legalização no país. Entre dezembro de 2012 e maio de 2013, não foi registrada a morte de nenhuma mulher que abortou de forma regulamentada no Uruguai.

Foram realizados 2.550 abortos legais, aproximadamente 426 por mês. O Uruguai é um dos países com taxas de aborto mais baixas do mundo. Briozzo explicou que desde o novo marco legal para o aborto, o país os pratica de forma segura, com a consolidação de serviços de saúde para este fim.

A política pública do governo tem o objetivo de diminuir a prática de abortos voluntários a partir da descriminalização, da educação sexual e reprodutiva, do planejamento familiar e uso de métodos anticoncepcionais, assim como serviços de atendimento integral de saúde sexual e reprodutiva.

Segundo esses dados, o Ministério da Saúde Pública atesta que 10 em cada mil mulheres entre 15 e 44 anos abortam no Uruguai atualmente. Esses números situam o país entre um dos que têm menores indicadores, ao lado dos estados da Europa Ocidental.

Do Pragmatismo Político

Foto Reprodução

A letra da jovem Anna Vives, portadora de Síndrome de Down, estará nas camisas que o Barcelona vestirá quando enfrentar o Santos pelo troféu Joan Gamper, que ocorrerá no próximo dia 2 de agosto. A menina é a estrela do projeto BOX 21, da Fundação Itinerarium, que desenvolve ferramentas para integrar melhor as pessoas e permitir que todos possam se expressar igualmente.

Anna Vives é uma artista responsável por criar novas tipografias – desenho de letras – no projeto social e disponibilizá-las em produtos cujas rendas são revertidas para portadores de Down. Após a partida contra o Santos, os uniformes do Barcelona serão autografados e leiloados no eBay no dia 3 de agosto e o dinheiro arrecadado será repassado para a causa.

Uma destas fontes já foi usada no capacete do piloto Jorge Lorenzo, no grande prêmio da Catalunha de MotoGP, com frases de incentivo, como “pensamento positivo”. Coincidência ou não, o espanhol venceu a corrida e subiu no pódio com Anna – chegando a carregá-la no colo durante sua comemoração.

Em seu Twitter oficial, ela reproduziu uma imagem com o desenho das camisas que Messi e Neymar irão utilizar contra o time brasileiro.

Do Uol

O time feminino sub-19 do Karanba

No último sábado, o futebol brasileiro brilhou nos gramados da Dinamarca, pelos pés de um grupo de meninas que buscam seu espaço no esporte. O time feminino sub-19 do Karanba, projeto social e esportivo dirigido pelo ex-jogador norueguês Tommy Nilsen no Rio de Janeiro, conquistou o título da sua categoria na Dana Cup, tradicional torneio amador disputado em Frederikshavn.

Criado em 2006, o Karanba conta hoje com cerca de 1.200 participantes, meninos e meninas, de seis a 19 anos. O projeto já possui um time feminino adulto, mas ainda luta para abrir mais portas para novas seguidoras de Marta e Cristiane.

- Pelo fato de o Brasil não ter cultura ou tradição de futebol feminino, temos ainda um pouco de dificuldade de montar todas as categorias no feminino. Mas estamos no caminho. Iniciamos o futebol feminino em outubro de 2011, e hoje temos as categorias sub-15, sub-17 e sub-19. Estamos fazendo boas participações nas competições no Rio, inclusive no Campeonato Carioca – conta Tommy Nilsen, por e-mail, da Suécia, durante a excursão anual do Karanba pelos países nórdicos, onde disputa diversas competições.

Com experiência e bons resultados com os times masculinos, que já venceram diversos torneios por lá, o Karanba está estreando com a equipe feminina no exterior. E que começo: 5 a 0 sobre o Bangsbo Freja, da Dinamarca, na primeira partida da Dana Cup, depois 6 a 0 no Viator Lions, dos Estados Unidos, mais duas goleadas no Ffi, da Dinamarca, por 7 a 0 e 6 a 0, esta na semifinal, e uma vitória magra – mas a mais importante – por 1 a 0 sobre o Nasets SK, da Suécia, na decisão, sábado. Os próximos desafios são na Suécia e na Noruega.

- Estamos fazendo nossa primeira viagem com o time feminino sub-19, e realmente está sendo muito gratificante! As meninas são merecedoras e muito dedicadas. Muita gente por aqui veio me parabenizar pelo trabalho feminino que estamos fazendo. Aqui o futebol feminino é respeitado de outra forma e tem incentivo de todos, e a mesma oportunidade para todos, meninos e meninas – diz Tommy.

Parabéns ao Karanba, e que venham novas conquistas e, principalmente, oportunidades no futebol feminino.

Do Planeta que Roda
Ig
abril 2014
D S T Q Q S S
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Curta!
Mulheresnopoder