"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a agosto 3rd, 2012

Seleção brasileira tem sua pior participação em Jogos Olímpicos ao ser eliminada nas quartas de final
Japonesas comemoram classificação para as semifinais da Olimpíada de Londres 2012 - Foto: Francois Lenoir/REUTERS
Japonesas comemoram classificação para as semifinais da Olimpíada de Londres 2012 – Foto: Francois Lenoir/REUTERS

Em sua pior participação olímpica, a seleção brasileira foi eliminada pelo Japão nas quartas de final dos Jogos de Londres. Atuais campeãs do mundo, as asiáticas aproveitaram a atuação pouco inspirada de Marta nesta sexta-feira e venceram por 2 a 0, em Cardiff.

Apesar de manter a posse de bola, a seleção não foi capaz de criar oportunidades para marcar. O Japão, por sua vez, preferiu não se expor e abriu o placar com Ogimi em um vacilo no primeiro tempo. Armado para jogar no contra-golpe, o time asiático ampliou através de Ohno, já na etapa complementar.

Uma derrota para a Grã-Bretanha no último jogo da primeira fase provocou o duelo com o Japão e a consequente queda precoce nos Jogos de Londres. Desde a primeira participação olímpica, em Atlanta-1996, a seleção feminina nunca havia saído antes das semifinais – em Atenas-2004 e Pequim-2008, ficou com a prata.

Ganhadora do prêmio de melhor do mundo entre as temporadas de 2006 e 2010, Marta enfrentou a atua detentora da honraria, Homare Sawa, também camisa 10. Com uma atuação apagada diante das japonesas, a brasileira segue em busca de seu primeiro título de expressão com a Seleção – além das pratas olímpicas, foi vice na Copa de 2007.

Leia o restante »

Internautas protestam contra propaganda da Schin

Internautas protestam contra propaganda da Schin

Depois da polêmica envolvendo uma peça publicitária da marca de preservativos Prudence – excluída do Facebook após críticas de internautas -, agora é um comercial da cerveja Nova Schin que gerou repercussão negativa nas redes sociais. Os usuários do Twitter, Facebook e Youtube acusam o vídeo “Homem Invisível” de incentivar a violência sexual contra a mulher.

No Twitter, criou-se a hashtag #NovaSchinIncentivaEstupro. Numa página do Facebook , internautas protestam contra a propaganda, pedem uma retratação da empresa e exigem que o comercial seja retirado do ar. “Tirar a roupa de uma mulher sem o seu consentimento – e em público – é abuso sexual e é crime. Exigimos retratação”, diz campanha, direcionada à cervejaria.

No vídeo, um grupo de amigos reunido num quiosque de praia observa mulheres na areia, até que um deles diz: “Já pensou se a gente fosse invisível?”. Na sequência, duas mulheres que caminham pela praia sentem que são tocadas pelas costas por pessoas ‘invisíveis’. Em outro momento da peça publicitária, algumas mulheres saem de um vestiário, invadido pelos ‘invisíveis’, sem a parte de cima do biquíni. Nessas duas cenas, as mulheres se assustam e fogem.

O trecho em que as mulheres são tocadas pelas costas é o que tem gerado maior polêmica. No Twitter, internautas afirmam que a propaganda da Nova Schin é machista e incentiva a violência sexual. “Nova Schin, sabia que vocês tão colaborando com uma coisinha chamada cultura de estupro?”, diz a internauta identificada como Fernanda Yamazato.

A campanha lançada nas redes sociais por internautas cita o artigo 213 do Código Penal: “Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: (Alterado pela L-012.015-2009); Pena – reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos.”

A blogueira Lola Aronovich, que escreve sobre comerciais acusados de incentivarem a violência sexual contra a mulher em seu blog, diz ser “um absurdo” que o comercial esteja no ar há meses. “O mais perverso é que, mesmo no ‘clima de humor’ do comercial, a expressão no rosto das mulheres é de pavor”, comenta a blogueira em seu site.

O vídeo está no canal da Nova Schin no Youtube desde fevereiro deste ano e já teve cerca de 15 mil visualizações.

Não é a primeira vez que uma peça publicitária da Nova Schin é alvo de polêmicas. No início de 2012, um vídeo veiculado pela marca foi acusado de discriminatório pela ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).

Outro lado

Em nota, a empresa Schincariol, responsável pela marca Nova Schin, afirma que não houve intenção de ofender qualquer pessoa em seu filme publicitário “Homem Invisível”.

Do Uol

Ministra Izabella Teixeira - Foto Agência Brasil

Ministra Izabella Teixeira - Foto Agência Brasil

O desmatamento na Amazônia caiu 23% entre agosto de 2011 e julho de 2012 na comparação com os 12 meses anteriores. Os dados divulgados hoje (2) pelo Ministério do Meio Ambiente apontam que 2,04 mil quilômetros quadrados foram desmatados nos últimos 12 meses. Com isso, quase 700 quilômetros quadrados foram poupados na comparação entre os períodos avaliados.

O Sistema de Monitoramento em Tempo Real (Deter), coordenado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mostrou que, com exceção de Roraima, todos os estados da região mantiveram ou reduziram a taxa de desmatamento local. O Maranhão foi o estado que registrou a maior queda de desmatamento (67%), seguido pelo Amazonas com 45% menos áreas devastadas e pelo Acre e pelo Pará, onde a derrubada de árvores reduziu em 42% em cada estado.

Para a ministra Izabella Teixeira, os números mostram “o resultado da robustez nas políticas e estratégias de monitoramento”. No ano passado, o Pará foi responsável por quase 47% do desmatamento.

O Deter revelou que o desmatamento da região amazônica aumentou apenas em Roraima, com acréscimo de 218% no período 2011/2012. O estado contabilizou 56 mil quilômetros quadrados de áreas devastadas, enquanto entre agosto de 2010 e julho de 2011, a área desmatada somava 18 mil quilômetros quadrados.

“Roraima tinha números absolutos com explosão do desmatamento. O estado agora está indicando tendência de queda”, avaliou Izabella Teixeira. Apesar do otimismo, a ministra explicou que os dados do Deter indicam apenas uma tendência. “Não podemos afirmar que vai reduzir o desmatamento, mas é um indicativo”, disse ela, acrescentando que, ainda assim, os números apontam “redução expressiva e sinalizam um caminho de perspectiva e ainda com baixíssima cobertura de nuvens.”

Em 2011, nuvens cobriram parte significativa das imagens captadas pelos satélites, o que comprometeu o resultado do monitoramento do desmatamento em Mato Grosso, no mês de junho. Este ano, as nuvens encobriram apenas 16% das imagens captadas pelo satélite no mesmo mês.

Outro desafio do monitoramento é a mudança no perfil do desmatamento na região. O crime ambiental na Amazônia que tinha como característica a devastação de grandes áreas, passou a ser feito em pequenas áreas, inferiores a 25 hectares. A modalidade definida pela ministra Izabella Teixeira como “desmatamento puxadinho”, que domina há três anos as práticas criminosas na Amazônia, tem exigido melhorias tecnológicas que o atual satélite não tem capacidade de captar as imagens com resolução ideal.

“Viremos com nova tecnologia para captar esse novo perfil [de desmatamento]. Esta nova tecnologia vai informar antes do crime. A gente vai colocar um óculos no Deter”, disse a ministra.

Em dezembro deste ano, o Inpe vai lançar o novo satélite Cbers 3, como resultado de uma cooperação com a China. A expectativa é que o satélite entre em operação em janeiro de 2013. “ Com isso, poderemos contar com informação em muito mais alta resolução espacial. Vamos ter um monitoramento constante e semanal, podendo detectar pequenos desmatamentos de vários hectares”, explicou Carlos Nobre, secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação.

Nobre admitiu que, os atuais dados, ainda “não são uma boa métrica do desmatamento anual como todo, mas eles indicam tendência de queda.”

Da Agência Brasil
Marta, cinco vezes a melhor do planeta, enfrentará Homare Sawa, a atual melhor do mundo - REUTERS/Francois Lenoir

Marta, cinco vezes a melhor do planeta, enfrentará Homare Sawa, a atual melhor do mundo - REUTERS/Francois Lenoir

O futebol feminino passou a fazer parte das Olimpíadas em 1996 e a seleção brasileira participou de todas as semifinais. Para manter a escrita, Marta e Cia precisam superar a má fase e vencer as atuas campeãs mundiais do Japão nesta sexta-feira, às 13h (de Brasília), em Cardiff, pelas quartas de final.

O Brasil não foi bem durante a primeira fase. Estreou com uma goleada por 5 a 0 sobre Camarões, com direito a dois gols de Marta. Depois sofreu para ganhar da Nova Zelândia por 1 a 0 e perdeu para o Reino Unido por 1 a 0. O tropeço fez com que as brasileiras encarassem as favoritas japonesas logo nas quartas de final.

Será o duelo de Homare Sawa, a atual melhor jogadora do mundo, com Marta, eleita cinco vezes a melhor do planeta.

A equipe do técnico Jorge Barcellos busca reagir três dias após o revés diante das britânicas. “Coletivamente nós não jogamos bem. Eu disse para as meninas que nós perdemos apenas um jogo, não o título ou a medalha. Agora é outro desafio contra o Japão, e estou certo que vamos dar tudo de nós contra o Japão”, comentou o treinador.

Será a quarta vez nas cinco edições dos Jogos Olímpicos que o Brasil enfrenta a campeã mundial do momento. Em 1996, empatou em 0 a 0 com a Noruega na primeira fase; em 2000, caiu por 1 a 0 diante dos Estados Unidos nas semifinais; em 2008, ficou no empate sem gols com a Alemanha.

Em Atlanta e em Sydnei, a equipe verde-amarela caiu nas semifinais e acabou em quarto lugar. Em Atenas e Pequim, foram duas derrotas para os Estados Unidos na prorrogação da final e Marta e Cia ficaram com a medalha de prata.

Do Terra
Ig
agosto 2012
D S T Q Q S S
« jul   set »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
Curta!
Mulheresnopoder