"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a outubro 25th, 2011

Arte RatoFX

Os planos de saúde fazem contratos prevendo aumentos superiores a 100% nas mensalidades quando o segurado atinge os 60 anos. Porém isso é contestado e as seguradoras não têm respaldo legal para exigir esse aumento.

Ocorre que muitas pessoas, diante de prestações altíssimas, optam por abandonar o seu seguro, sem saber que podem e devem recorrer à Justiça.

Leia o relato de uma leitora, que preferiu não se identificar. Também não divulgaremos o nome da seguradora já que isso é prática comum a todas elas.

“Sou assegurada em um plano mais ou menos alto (opções plus) faz mais de 10 anos.

No início de novembro recebi um novo carnê com o valor de minha mensalidade indevidamente reajustado por ter chegado aos 60. O valor que era de R$ 639,00 passou a R$ 1.787,00.

Indignada resolvi entrar na justiça contra a Seguradora. Procurei um advogado especialista em pequenas causas e levei meu contrato e carnês para saber como deveria agir.

O meu contrato previa um aumento de 165 % quando eu chegasse aos 60. Porém, meu advogado esclareceu que embora eu tivesse assinado este contrato, existe um Estatuto do Idoso que prevalece sobre o contrato, que não permite nenhum aumento depois dos 59 anos.

Tudo que eles poderiam cobrar seria um reajuste de custos anual de acordo com a lei.

Baseado nisso , e sem deixar de pagar as prestações já aumentadas (paguei 2 meses) o advogado entrou com uma petição contra o aumento e pedindo de volta, EM DOBRO, tudo que eu pagasse a mais, além, do que fosse legalmente decidido.

Logo na primeira audiência a Seguradora foi citada para mandar um novo carnê com o valor antigo até a solução do caso.

Finalmente saiu o resultado e eu ganhei a causa.

Fui duas vezes ao fórum, onde o advogado da Seguradora disse que não haveria acordo e 2 meses depois saiu o veredicto.

Portanto, não aceitem os aumentos passivamente, é um abuso!

A devolução em dobro do que paguei, eles estão relutando em pagar, mas vão acabar tendo de fazê-lo e minha mensalidade passou para R$ 682,00 pelo menos até ao final do ano, quando deve sofrer mais um pequeno reajuste.

Esqueci de dizer que como somos consideradas idosas, temos prioridade na marcação das audiências, o que fez o desenrolar mais rápido que o normal.”

Foto: Piter Dias

A Tigre, multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios no país e uma das maiores do mundo, estará em São Paulo com o curso gratuito de hidráulica voltado exclusivamente para mulheres. O principal objetivo do curso é capacitar as mulheres para que possam fazer no dia-a-dia pequenos reparos domésticos ou contratar e acompanhar o trabalho de um bom profissional com mais segurança.

Toda a estrutura do curso (linguagem, ilustrações, metodologia, problemas abordados) foi feita pensando nesse público e no que ele considera relevante. O programa tem carga horária de 2 horas e será replicado em todo o Brasil nos principais home centers e revendas da Tigre.

A capacitação profissional faz parte dos valores da Tigre. É uma forma de oferecer atualização sobre melhorias em nossos produtos, reforço técnico, e noções básicas para um público diferenciado que são as mulheres.

No primeiro momento, o curso será realizado em Home Centers, mas conforme a demanda, a proposta é ampliar e fazer em outros pontos do varejo, dentro de nosso segmento. A previsão inicial é atingir cerca de 400 mulheres em todo o Brasil, com uma média de 30 mulheres por curso, variando conforme o tamanho do local.

Os principais tópicos abordados nesse treinamento serão:

  •  Pinga-pinga no chuveiro;
  •  Pinga-pinga na torneira;
  •  Mau cheiro no banheiro / lavanderia;
  •  Pia entupida;
  •  Pia de cozinha entupida;
  •  Ralo do chuveiro entupido;
  •  Vaso sanitário entupido;
  •  Espuma voltando pelo ralo;
  •  Caixa d’água transbordando;
  •  Manutenção para evitar outros problemas.

Serviço

Shopping D – dia 27 de outubro, à 14h.

Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 1100 – Canindé – São Paulo – SP.

Tel.: (11) 4506-6001/ 4506-6002

Joana Jeker dos Anjos (de branco), com integrantes do grupo Recomeçar: "Eu, como paciente, passei por muitas dificuldades" Foto Bruno Peres/CB/D.A Press.

Elas venceram desafios e mostram isso na passarela. Desta vez, o destaque do desfile promovido pelas Mulheres da Cirurgia Plástica e pela Recomeçar/Associação das Mulheres Mastectomizadas não estará nos novos modelos apresentados por uma marca de roupas. As atenções estarão voltadas para as mulheres que venceram a batalha contra o câncer de mama e voltaram a sorrir. O evento, agendado para as 19h de hoje no Gilberto Salomão, encerrará o Outubro Rosa, mês do movimento mundial contra a doença. Entre 25 e 30 mulheres de todas as idades desfilarão, confiantes de que vale a pena brigar pela vida.

As participantes terão um dia especial. A concentração começará ainda no início da tarde, com tempo de sobra para arrumar o cabelo e se maquiar. “Esse evento servirá para levantar o ego dessas mulheres, para que elas se sintam prestigiadas e homenageadas depois de tanto sofrimento”, explicou a presidente da Recomeçar, Joana Jeker dos Anjos, 35 anos. As organizadoras do evento também querem chamar a atenção da sociedade para o autoexame e exigir políticas públicas. “Essa conscientização é muito importante, um alerta para todas as mulheres”, destacou Joana.

Há dois anos, a dona de casa Venina Batista de Souza, 46 anos, moradora de São Sebastião, descobriu que estava com câncer de mama. “Não consegui aceitar que estava doente, fiquei em estado de choque, perdi meu chão. Achei que fosse morrer, não conseguia pensar em outra coisa”, contou. Durante quase um ano, fazia o caminho entre a casa e o Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde se submeteu ao tratamento. Fez cirurgia para retirar o seio, sessões de quimioterapia e radioterapia. Achou que não venceria a batalha. “Em 2010, entrei para um grupo de apoio. Além de aprender a fazer artesanato e me ocupar, conversava com outras mulheres mais experientes. Agora sou em quem tento ajudar outras mulheres que estão passando pelo que eu passei.”

Venina está animada para participar do desfile. “Só quem passa por essa situação sabe o quanto é doloroso, mas passou. Esse evento será muito importante para divulgar a causa e ajudar outras mulheres na mesma situação que a nossa.” Esse também é o objetivo da dona de casa Laura de Souza Dias, 42 anos, moradora de São Sebastião: “Essa doença mexe muito com a autoestima da gente. Não é fácil para uma mulher perder a mama ou o cabelo. Com esse desfile, queremos contribuir com outras pessoas que estão desanimadas como a gente já esteve”.

Para a professora Luciene Maria de Araújo, 42 anos, moradora de Ceilândia, a informação é o melhor remédio para quem tem câncer de mama. Ela criou um blog para dividir a experiência com outras pessoas e, quem sabe, ajudar de alguma forma aqueles que ainda estão na luta pela vida. “Não é fácil passar por isso, mexe demais com o nosso psicológico. Por isso, acho muito importante esse desfile, para incentivar outras mulheres a se cuidarem e melhorar a nossa autoestima”, avaliou. Luciene aguarda ansiosa pelo evento.

Direitos

Joana Jeker dos Santos decidiu criar a Recomeçar depois de vencer um câncer de mama e ver a realidade dos hospitais. “Eu, como paciente, passei por muitas dificuldades. Estou nessa luta há um ano e meio e vi que as mulheres não tinham orientação alguma e não foram atrás dos direitos delas”, apontou. De acordo com Joana, uma das principais dificuldades encontradas por aquelas que têm a doença é fazer a cirurgia de reconstrução da mama, apesar de a Lei Federal nº 9.797 de 1999 prever o acesso ao procedimento (veja o que diz a lei). “A demanda é seis vezes maior do que a capacidade da rede pública anualmente. Lutamos para que essa operação seja uma continuidade no tratamento. É obrigação do Estado prover esse tipo de cirurgia”, defendeu.

A dona de casa Luiza Barboza de Oliveira, 65 anos, moradora do Riacho Fundo 2, conhece bem essa realidade. Descobriu que estava com a doença em 1994, mas somente em 2008 fez a primeira etapa da cirurgia para reconstruir a mama. Depois de todas as dificuldades, encontrou motivos para sorrir. Luiza estará no desfile de hoje à noite e não esconde a alegria. “É maravilhoso participar desse evento com a Joana”, diz ela, que convidou toda a família.

Foco na prevenção

O movimento começou na década de 1990 nos Estados Unidos, quando a Fundação Susan G. Komen for the Cure lançou o laço cor-de-rosa e distribuiu durante a Corrida pela Cura, realizada em Nova York. Durante o mês de outubro, muitos países realizam uma série de ações voltadas para a prevenção do câncer mama. No Brasil, a primeira iniciativa ocorreu em 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado em tons de rosa.

Do Correio Braziliense 

Veja a entrevista de Joana Jeker para o Mulheresnopoder

 

 

Arte RatoFX

A redução da contribuição previdenciária do empregado e do empregador doméstico deverá ser discutida e votada em decisão terminativa, nesta quarta-feira (26), pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Em vez do recolhimento mensal de 8% e 12% do salário, respectivamente, para a Previdência Social, o trabalhador doméstico e o patrão passariam a pagar, cada um, alíquota de 5% sobre o salário mensal.

A proposta (PLS 189/11) da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) pretende estimular a formalização do emprego doméstico. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), dos 6,7 milhões de trabalhadores atuando no setor em 2009, apenas 26,3% (1,7 milhão) contavam com registro em carteira e cobertura previdenciária, como auxílio-doença, licença-maternidade e aposentadoria.

Vanessa Grazziotin defendeu o corte de 50% na contribuição para o setor doméstico por entender que recentes medidas de inclusão previdenciária não renderam os benefícios esperados para a categoria. Como reforço ao seu argumento, lembrou a possibilidade de o patrão deduzir pagamentos feitos ao empregado doméstico do Imposto de Renda devido, medida que – na sua opinião – teria incentivado mais quem já dava tratamento formal a essa relação de emprego que ajudado a criar novos postos de trabalho doméstico.

No parecer favorável ao PLS 189/11, o relator, senador Paulo Paim (PT-RS), avaliou que a proposta está em sintonia com a Constituição federal ao estabelecer um regime previdenciário especial para trabalhadores de renda mais baixa. Apesar de o Ipea constatar uma ampliação geral na formalização do trabalho no país entre 1999 e 2009, Paim observou, com base nesse levantamento, que a regularização do trabalho doméstico avançou pouco nesse período.

- Trata-se, portanto, de medida meritória, pois, se essas trabalhadoras não estiverem filiadas ao Regime Geral da Previdência Social, ficarão, com certeza, expostas aos riscos sociais do trabalho e não poderão enfrentar com qualidade de vida, nem o declínio de sua capacidade laboral, nem seu envelhecimento – comentou Paim.

Do Agência Senado

Marta tenta conquistar o prêmio de melhor jogadora do mundo pela sexta vez seguida

A Fifa revelou nesta terça-feira a lista das candidatas ao prêmio de melhor jogadora do mundo deste ano. Marta está entre as concorrentes e tentará levar o troféu pela sexta vez consecutiva.

Ao lado da revista France Football, a Fifa divulgou a lista das dez jogadoras indicadas à premiação. Marta é a única brasileira que aparece nesta relação.

Os Estados Unidos contam com três representantes na relação das indicadas ao prêmio: Abby Wambach, Alex Morgan e Hope Solo. A goleira se destacou no Mundial feminino – no jogo contra o Brasil, nas quartas de final, a musa foi fundamental para a vitória norte-americana nos pênaltis.

Atual campeã mundial, a seleção japonesa tem duas atletas na disputa: Aya Miyama e Homare Sawa. A França também conta com duas representantes na briga pelo prêmio. Louisa Nécib e Sonia Bompastor tentam vencer as fortes concorrentes. A alemã Kerstin Garefrekes e a sueca Lotta Schelin completam a lista.

A escolha será definida com os votos dados pelas capitãs e os treinadores das seleções femininas de todo o mundo, além de um painel internacional de jornalistas escolhido pela France Football.

Em 1º de novembro, a Fifa também divulgará a lista dos dez candidatos ao prêmio de melhor jogador do mundo em 2011. Em 5 de dezembro, em Paris, serão anunciados os três finalistas, tanto no feminino como no masculino.

Os ganhadores dos prêmios serão conhecidos em uma cerimônia em 9 de janeiro, em Zurique (Suíça).

Do Uol
Ig
outubro 2011
D S T Q Q S S
« set   nov »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Curta!
Mulheresnopoder