"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Mulheres no mercado de trabalho

Bem, depois de muito trabalho e esforço, você foi promovida a chefe da equipe da qual fez parte até ontem. Você entra no seu espaço diferenciada dos demais, sente-se orgulhosa, recompensada pela dedicação e empenho com que se destacou dos outros. Cadeira confortável? Mesa maior? Uma sala fechada? Maravilha! E agora? Como vai ser com seus camaradas, seus companheiros de almoço, de piadas sobre o chefe, de reclamações e fofocas? Pensa que é fácil? Não é mesmo.

A primeira coisa que você deve ter notado é que agora você tem um papel diferente dentro da organização. Você foi escolhida para liderar essa equipe, para obter o melhor de seus subordinados, agora você é a responsável por trazer os resultados. Bem, sua carreira de executiva iniciou e ela é diferente de sua carreira de subordinada. Você foi escolhida porque seu chefe reconheceu em você capacidade de mobilizar pessoas e motivá-las a produzir aquilo que a empresa precisa para atingir suas metas.

Não pense que, porque chegou a essa posição tudo está resolvido. Lembre-se que nos primeiros momentos você está em observação e os olhos de todos estão sobre você. Há um período de iniciação em que você terá de ser aceita pelos seus próprios pares, além da própria equipe. Não precisa ficar assustada com isso, todos os outros executivos passaram por esse período e, se você não tivesse mostrado capacidade, certamente não teria sido promovida.

Apenas aceite que esse período existe e não tente dar a impressão de que sabe tudo a respeito de liderar essa equipe somente porque fez parte dela. Não se acanhe em fazer perguntas, em buscar respostas claras sobre o que sua chefia espera de você, peça opiniões e sugestões aos subordinados. Afinal, gerir uma equipe exige que, além de conhecimento técnico você precisa ser capaz de controlar as tensões do grupo e manter o time focado em missão, valores, metas, indicadores de desempenho, agenda…

Você terá que ser capaz de antecipar problemas, identificar opções, desenvolver estratégias, estabelecer metas e planos de ação. Vai ter que organizar a distribuição de tarefas, facilitar a ação das pessoas, fazer correções de rota quando necessário.

Você terá que limitar as fofocas, mesmo que seus subordinados sejam seus super-amigos. E, se alguma chegar a você, lembre-se de, antes de tomar decisões, achar um jeito de separar o que é fato do que é fruto de opiniões ou sentimentos. Aprenda a ouvir os diversos lados envolvidos, de forma delicada para não ofender ninguém e para que seus velhos amigos não pensem que o cargo lhe subiu à cabeça.

Lembre-se que, para você se sair bem, é necessário criar alianças e parcerias com chefes, pares e com sua equipe. Você não precisa saber tudo de tudo, saiba o essencial e saiba quem tem as respostas para as diversas questões do seu dia-a-dia. Busque ajuda de outros gerentes se precisar, mesmo de seu chefe, pois ele está tão interessado quanto você no seu triunfo.

Não pense que é necessário mudar sua personalidade, tratar friamente seus amigos só porque virou chefe deles. Existem muitas maneiras delicadas de sair fora de uma fofoca ou de uma conversa boba. Aos poucos as pessoas percebem que seu papel mudou e começam a tratá-la como chefe, sem com isso deixarem de ser seus amigos. E daqui a pouco você vira Diretora….

Texto: Maria do Carmo Marini

Do Blog Plena Mulher e do Blog Executivas & Chiques

Comentários fechados.

Ig
julho 2011
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Curta!
Mulheresnopoder