"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a março, 2011

O Instituto Arcana é uma ong criada em 2005 que realiza projetos associando áreas como cultura, saúde, educação, psicologia, gênero e cidadania em prol do desenvolvimento humano. Dentre seus projetos destaca‐se o Programa Roda de Mulheres que atua junto a grupos de mulheres no DF e Goiás.
E o Festival Mulher em Cena. O Espaço Arcana reúne atividades terapêuticas e culturais com encontros, debates e oficinas. Está aberto para locação para cursos e palestras com propostas de acordo com a finalidade da instituição.

Inscrições

E-mail: institutoarcana@gmail.com

Fonefax: (61)3347‐0618

Da Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a fabricação, importação, distribuição, o comércio e uso do produto dietrine em todas as suas denominações (Dietrine Phaseolamin, Dietrine Fimbriata, entre outras). Segundo a Anvisa, o produto é fabricado e importado por empresas desconhecidas, que não têm registro na agência.

O dietrine é um suplemento para perda de peso, que reduz a digestão de calorias, provocando o emagrecimento. A resolução publicada no Diário Oficial da União vale a partir de hoje (31).

Do Folha.com

Preta Gil

A cantora Preta Gil afirmou, durante lançamento oficial da 15ª Parada Gay de São Paulo na noite desta quarta-feira, que foi injustamente agredida pelas declarações do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).

“Passei nos últimos dias por um terror. Fui injustamente agredida por um político que não só me agrediu, mas a todos que são negros, gays ou que são os dois. Eu, no meu caso, sou uma mulher negra, gay e feliz”, disse a cantora.

No quadro “O Povo Quer Saber”, do programa “CQC”, da TV Bandeirantes, exibido na segunda-feira (28), Preta Gil fez uma pergunta, previamente gravada, sobre qual seria a reação dele se seu filho se apaixonasse por uma negra.

O parlamentar, que tem um extenso histórico de polêmicas relacionado a direitos civis e humanos, respondeu: ‘Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados. E não viveram em ambiente como lamentavelmente é o teu.’

Bolsonaro alegou não ter tido a intenção de fazer nenhuma declaração racista. Disse que, na realidade, pensou que a pergunta se referisse a um relacionamento gay. “Essa se encaixa na resposta que eu dei. Para mim, ser gay é promíscuo, sim”.

Na noite da última terça-feira (29), deputados protocolaram uma representação para que o deputado seja investigado pela Corregedoria da Câmara por quebra de decoro parlamentar, por causa dos comentários supostamente racistas.

A representação também será encaminhada ao Ministério Público e à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Ao passar pelo velório do ex-vice-presidente José Alencar, na tarde de hoje, Bolsonaro voltou a fazer ataques a homossexuais, à cantora e até ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

“Eu estou me lixando para esse pessoal aí”, disse ele, referindo-se a quem o chama de homofóbico. “Agora criaram a Frente Gay [na Câmara]. O que esse pessoal tem para oferecer? Casamento gay? Adoção de filhos? Dizer pra vocês, que são jovens, que se tiverem um filho gay é legal, vai ser o orgulho da família? Esse pessoal não tem nada para oferecer”, disse ele.

Bolsonaro voltou a dizer que a declaração sobre Preta Gil ocorreu por ele não ter entendido a pergunta. “Eu fui entrevistado por um laptop, respondi a um laptop”, disse.

Perguntado se é homofóbico, o deputado disse que não tem nada “pessoal” contra gays. “Cada um faz o que quer com esse corpinho cabeludo entre quatro paredes”.

Ao falar da cantora Preta Gil e de uma possível ação dela na Justiça, Bolsonaro citou publicações do blog da artista. “Que exemplo ela tem de vida para dar para todos nós para falar de ética?”, afirmou.

Empresários tem que colocar a mulher como foco do seu negócio.

Na sua edição de março, a Revista Shopping Centers dedicou seu conteúdo às mulheres.

Mais do que uma homenagem,  a revista focou o lado empresarial da mulher que ocupa, no mundo dos Malls, funções que vão desde as mais operacionais até a superintendência.

Andiara Petterle é uma dessas mulheres que atuam “do outro lado do balcão”. A jovem empresária está à frente do Bolsa de Mulher.com, uma bem sucedida empresa digital, voltada para o público feminino da internet e detentora de 16 marcas distribuídas no Brasil, Argentina, Chile e México.

Perguntada sobre a possibilidade de maior crescimento de seu grupo no Brasil ela menciona dados importantes, que devem ser observados por toda empresa que tem a mulher como público alvo: Se o governo tirar do papel o projeto da banda larga, o acesso à internet chegará para consumidoras de classe C e D  que, somadas as que já estão conectadas , dará um total de 76 milhões de usuárias.  Ou seja, as empresas que não considerarem esses números, vão para ficar para trás. Entende-se que da internet partirá grande parte do consumo.

Entretanto, para atender o público feminino é necessário mais do que um bom produto e um serviço eficiente. Essas são exigências básicas, que em hipótese alguma devem ser negligenciadas, como muitas vezes acontece, haja vista o número de reclamações no Procon ou sites especializados.  O mercado precisa realmente entender o que as consumidoras querem e para isso tem que se dispor a ouvi-las.

Não é de agora que as mulheres se defrontam com vários papéis a desempenhar, porém é bem  recente o desejo de brilhar em cada uma de suas tarefas de forma a ser a melhor em tudo o que faz.  Isso gera estresse e consome um tempo danado.

O tempo é, hoje em dia, o bem mais precioso para uma mulher, mas infelizmente o mercado ainda não percebeu, ou não está preparado para atender essa necessidade de eficiência que todas temos. Da procura de vagas para estacionar à fila do caixa para pagar, são horas incontáveis que perdemos.  Se formos falar de prestação de serviços as queixas são ainda mais numerosas. Poucas empresas conseguiram desburocratizar os seus processos e não raras vezes consumidoras não são atendidas porque o “sistema” falhou.

Mulheres só são fieis a produtos ou serviços que cumprem com o que prometem e agregam valor a sua marca em forma de benefícios que ajudam a aplacar a auto-exigência feminina.  Se sua empresa me enrola, eu abandono, sem dó nem piedade, mesmo que gerações de mulheres tenham comprado os seus produtos antes de mim. Se seu serviço é demorado, se não me facilita a vida, vou procurar seu concorrente para ver se ele faz melhor.

Que não se pense que essas são prerrogativas apenas de mulheres de classe A e B. Isso já acontece em todas as camadas da população com acesso ao consumo, basta ver as pesquisas dos varejistas para perceber.

Por último, é bom lembrar que mesmo que o comprador final seja homem, o  papel de decisora  da compra é cada vez mais da mulher, por isso, é melhor agradá-las.

Leia a entrevista completa clicando aqui

Jogo de Poder reacende a invasão do Iraque

Naomi Watts e Sean Penn em explosivo thriller polítco baseado em fatos reais

Resumo da história. Quase um documentário, Jogo de Poder (Fair Game – EUA – Emirados Árabes Unidos – 2010) narra a trajetória de Valerie Plane (Naomi Watts), chefe de um grupo de operações da CIA encarregado de verificar se, após os atentados de setembro de 2001, Saddam Hussein estaria produzindo armas de destruição em massa. Depois de criteriosa investigação, ela afirma categoricamente que o Iraque não tinha arsenais do gênero. O governo de George W. Bush ignora as evidências e decide invadir o país. Indignado, o marido de Valerie, Joe Wilson (Sean Penn), ele próprio ex-embaixador na gestão de Clinton, escreve artigo no New York Times mostrando o absurdo da situação. E parte para liderar movimento, cujo objetivo era justamente o de mostrar que o governo havia mentido. A reação da Casa Branca não tardaria. E viria de forma crudelíssima: assessores com gabinetes próximos ao do presidente deixam vazar informação de que Valerie era agente da CIA e teria tido motivos pessoais para assinar relatório contrário aos interesses de Bush. Imediatamente a imprensa pró-governo faz a ligação dela com as posições do marido e destrói a vida do casal. Mistura bem dosada dos gêneros thriller político e drama familiar, o filme tem ritmo intenso, potencializado pelas soberbas interpretações do casal protagonista e pela direção segura do cineasta Doug Liman, que deu ritmo a fatos largamente noticiados. A última cena, bem resolvida, cola a personagem real com os 127 minutos da mais pura e consistente ação cinematográfica.

O elenco. Naomi Watts, madura e dramaticamente firme, consegue personificar a verdadeira Valerie Plane: forte, confiante, competente e vitoriosa no início. E magoada, insegura, estima baixa, a partir do último terço. Ressurge nas sequências finais. Sean Penn é o seu par perfeito: denso, confuso, confiante, sagaz, inseguro e amoroso. Ao mesmo tempo. O restante do elenco, que resulta em lista quilométrica nos créditos, fica à altura dos protagonistas, desde ousados assessores presidenciais, passando pelos jornalistas favoráveis ao governo, e incluindo participação especial de Sam Sherpard, como o pai de Valerie.

O diretor Criador da cinessérie Bourne, protagonizada por Matt Damonn, Doug Liman consegue transformar em emoção enredos baseados na teoria da conspiração estado contra indivíduo. Nesse ponto, funciona hoje como Hitchcock nos anos 50 (Intriga Internacional – Cary Grant/Eve Marie-Saint – 1957) e Sidney Pollack no início do fim do movimento hippie (Os Três Dias do Condor – Robert Redford/Faye Dunnaway -1975).

Diferencial. A edição, nervosa, enfatiza as muitas idas e vindas dos personagens. Diálagos enxutos e contundentes se inserem bem no contexto. A trilha sonora pontencializa a ação contínua, seja na Casa Branca ou no Iraque. Resultado: a platéia tem que ficar acordada o tempo inteiro, a fim de não se desconectar do desenrolar da trama, especialmente em se tratando de uma história de suspense, com caracterizações psicológicas detalhadas.

Diferencial 2. O filme não cai na vala comum de ridicularizar George W. Bush. Não precisava, na época. Muito menos agora.

Diferencial 3 Apesar de todas as qualidades, a bilheteria nos Estados Unidos ficou muito aquém de uma produção desse porte. Inconscientemente, os americanos ainda não conseguem fazer mea culpa pelo enorme equívoco daquela ação militar.

Onde. No circuito nacional.

José Jardelino da Costa Júnior
29 de março de 2011
Do G1.com

Projeto é transformar ‘Marina: a vida por uma causa’ em filme. Sandra também dirigiu o longa ‘Cazuza – o tempo não para’, de 2004.

Marina Silva

A produtora Cineluz Produções, da cineasta Sandra Werneck, comprou os direitos sobre a biografia da ex-candidata à presidência Marina Silva (PV – AC). O projeto é transformar a obra em filme.

Ainda não há previsão de início das filmagens, detalhes de elenco ou da equipe de produção.

A informação foi divulgada pela assessoria da editora Mundo Cristão, que publica o livro. “Marina: a vida por uma causa” foi escrito pela jornalista Marília de Camargo César.

Sandra Werneck dirigiu “Cazuza – o tempo não para”, de 2004. No ano passado, lançou o longa “Sonhos roubados”, sobre um grupo de garotas que vivem numa favela carioca.

Com informações do G1.com

Ex-presidente recebe título ‘honoris causa’ da Universidade de Coimbra. A presidente se reúne também se reúne com autoridades portuguesas.

A presidente Dilma Rousseff durante chegada a Lisboa, Portugal (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidente Dilma Rousseff chegou por volta das 10h30 desta terça-feira (29) a Portugal para uma homenagem da Universidade de Coimbra ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma deve ainda ter reuniões com autoridades do país europeu. A presidente seguiu de carro de Lisboa para Coimbra, na região central, e chegou por volta das 12h30.

Às 15h15, a previsão é de que ela visite a Universidade de Coimbra e conheça, às 17h, o Museu Nacional Machado Castro, que reúne pinturas e esculturas – em sua maioria com temas religiosos – dos séculos 15 ao 20. De noite, Dilma deve jantar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na quarta (30), às 10h35, ela participa da cerimônia na Universidade de Coimbra de entrega do título “honoris causa” a Lula. O ex-presidente foi convidado a receber o título quando ainda estava no cargo, mas decidiu que só aceitaria depois que deixasse a Presidência.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se tornou doutor “honoris causa” pela Universidade de Coimbra em 1995. Antes dele, o título foi entregue ao ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Após a cerimônia, Dilma participa, às 13h40, de almoço oferecido a Lula pelo reitor da Universidade de Coimbra.

Reuniões políticas

Ainda na quarta, às 17h30, a presidente participa de reunião com o presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva. Às 19h, Dilma se encontra com o primeiro-ministro português, José Sócrates.

O premiê português pediu demissão do cargo na última quarta (23) depois que o Parlamento do país europeu rejeitou um pacote de medidas de austeridade proposto pelo governo socialista, que é minoritário na casa. No entanto, Sócrates permanecerá no cargo até que o novo primeiro-ministro seja eleito pelo Parlamento.

De acordo com o Planalto, Brasil e Portugal não devem assinar acordos de cooperação porque trata-se de uma visita “eminentemente política”. O objetivo é reforçar a intenção de estreitar os laços entre os dois países.

Com informações do Paraná Online

Maria Alice

A atual superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Paraná, Maria Alice Nascimento Souza, assume interinamente a direção geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Ela foi convidada pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, para ocupar o lugar de Hélio Derenne, que pediu exoneração do cargo, após a exibição de uma reportagem do Fantástico sobre irregularidades na fiscalização nas rodovias federais, exibida na noite de domingo.

Maria Alice é de Foz do Iguaçu e foi a primeira mulher no País a ocupar o cargo de chefia da Polícia Rodoviária Federal. Ela entrou na PRF na década de 80, como motociclista. Quando começou a trabalhar como patrulheira, virou inspiração para a criação de “Alice, A Patrulheira”, um personagem de história em quadrinhos (HQ).

Sindicância

Derenne alegou motivos de foro intimo para deixar o cargo. O ministro da Justiça determinou a abertura de uma sindicância específica sobre a atuação do ex-superintendente da PRF no Ceará, Ubiratan Roberto de Paula, denunciado na mesma reportagem pedindo “tolerância” na aplicação de multas a parlamentares e autoridades. Ubiratan de Paula também pediu exoneração do cargo.

Cardoso também mandou exonerar o coordenador-geral de operações da PRF, inspetor Alvarez de Souza Simões. Em reunião com policiais, gravada em vídeo exibido na reportagem, ele chamou de “firula” o envio de integrantes da corporação para operação de combate ao crime no Rio de Janeiro.

O Ministro da Justiça determinou também o envio de cópias das reportagens ao Ministério Público e à Controladoria-Geral da União (CGU). No prazo de cinco dias úteis, a diretora interina da PRF deverá apresentar relatório detalhado sobre os fatos mostrados nas reportagens.

Com informações do site Finissimo.

Coleção de Jean Matos, vencedor do Concurso. Foto: Site Finíssimo.

Os últimos desfiles do Parkfashion na quinta-feira, dia 24, tiveram a presença de um entusiamado publico que foi ao evento prestigiar os finalistas  do Prêmio de Moda Park Fashion,

Dez jovens estilistas apresentaram três looks composto para o tema sugerido pela organização: Contemporaneidade: uma percepção do mundo contemporâneo traduzida em roupas”,


Peça do desfile de Rafaella Lacerda e Rejane Cadore. Foto: Site Finíssimo

As peças apresentadas na passarela mostraram, entre outros quesitos, duas percepções gerais com relação à contemporaneidade: projetos em cores sóbrias, e projetos com um leque de cores bem vivas, com inspiração vinda de diversas referências.

Uma das coleções que soube bem interpretar o tema, trazendo não só roupas, como também os acessórios Ícones de uma contemporaneidade virtual  foi a de Rejane Cadore e Rafaella Lacerda;

Os modelos apresentados foram adornados com jóias esepcialmente desenhadas para a coleção.

A execução das peças ficou a cargo da jovem artesã Gabriela Gomes de Matos.

À pedido de  várias seguidoras do blog, Gabriela, ou Gabi, como é conhecida, falou sobre seu trabalho e forneceu o contato para encomendas das peças:

Jóias de Gabriela Gomes de Matos

Jóia de Gabriela Gomes de Matos

Jóia de Gabriela Gomes de Matos

Gabriela Gomes de Matos

Gabriela Gomes de Matos
A paixão por moda  vem desde criança e  o mundo dos acessórios sempre despertou meu olhar mais atento.

Sou formada em Moda, Designer de jóias e bijuterias, Artesã e Maquiadora profissional.

Por meio do meu trabalho quero  exteriorizar sentimentos e projetar meus sonhos construindo objetos de desejo. Minhas jóias representam os anseios de uma mulher moderna e antenada. Cada peça idealizada é fabricada artesanalmente, o que as tornam únicas. Minha maior matéria prima é a criatividade e as exclusividade

E-mail:  gabi_gomesdematos@hotmail.com
Celular: 61 – 9554-2252

Por Sheila D´Amorim, para o Folha

Com falta de mão de obra, número de mulheres no setor cresce 74% em 4 anos. Gestores apontam vantagens como responsabilidade, menos ausências e baixo uso de drogas

A falta de mão de obra para atender o boom da construção civil dos últimos anos transformou os canteiros, abrindo espaço para mulheres num reduto tradicionalmente masculino.

Em quatro anos, o número de mulheres que literalmente passaram a colocar a mão na massa aumentou 74%, segundo levantamento do Ministério do Trabalho feito a pedido da Folha.

Em 2007, elas eram 109 mil. Em 2010, chegaram a 189,3 mil. Ainda representam um universo pequeno -7,67% do total de 2,4 milhões de trabalhadores do setor-, mas avançaram em territórios considerados tabus.

Se antes elas estavam apenas cozinhando ou ajudando na limpeza, agora atuam como pintoras, pedreiras, carpinteiras, operadoras de guindastes, caminhões e máquinas pesadas.

A presença feminina é destaque tanto na construção de condomínio residencial com 11 prédios nas redondezas de Brasília como em projetos de infraestrutura, casos das usinas de Jirau e Santo Antônio (RO) e Belo Monte (PA).

Essas três grandes obras ilustram bem a tendência que se espalhou pelo país. Em Santo Antônio, cerca de 10% dos 15 mil que trabalham na obra são mulheres, segundo a Odebrecht, que coordena o canteiro.

CAPRICHO

Em Belo Monte, os trabalhos ainda não começaram, mas a seleção dos primeiros 150 trabalhadores que serão treinados inclui 25 mulheres. “Mulher trabalha com mais capricho, é mais responsável e o número de faltas é menor”, afirma Marcos Sordi, diretor administrativo do consórcio Belo Monte.

Com larga experiência na construção civil, ramo em que atua desde 1975, Sordi diz que elas começaram com funções que exigem mais atenção a detalhes, como soldas e rejuntes, mas, agora, disputam vagas que não eram oferecidas a mulheres.

Leia o restante »

Ig
março 2011
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
Curta!
Mulheresnopoder