"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a agosto, 2010

Beauty-Fair Feira acontece  na zona norte de São Paulo entre os dias 28 e 31 de agosto.

A maior feira de cosméticos e artigos relacionados a beleza da América Latina chega ao seu último dia.  A Beauty Fair - Feira Internacional de Cosméticos e Beleza, espera ter chegado a 110 mil visitantes este ano, oferecendo palestras, workshops, eventos de qualificação profissional como também espaço para encontros e negócios na área de cosmética e serviços relacionados.

No total, a Beauty Fair oferece 48 eventos, entre congressos, workshops e shows, de 28 a 31 de agosto, no  centro de convenções do Expo Center Norte. Tudo isso numa área expositiva de 76m², que abrigarão 450 expositores. Houve também inovações como um pavilhão inteiro dedicado à área de estética, setor que tem recebido grande investimento também na área educacional.

Para maiores informações acesse o site oficial do evento Beauty Fair

logo-festival-blogspot

Festival acontece simultaneamente em Brasília – DF e Palmas – TO

O Festival Mulher em Cena é mais uma iniciativa do Instituto Arcana dando destaque à produção artística protagonizada por mulheres, destacando o seu olhar sobre a realidade e trazendo à tona, de forma criativa, questões do universo feminino e que dialogam com toda a sociedade. Espetáculos de teatro, dança, música, circo, mostra de cinema, oficinas e bate-papos ganham a cena, formando um mosaico criativo da produção artística feminina contemporânea.

Em sua 2ª edição, o Festival Mulher em Cena propõe um Espaço de Convivência, onde artistas e público poderão trocar experiências, impressões e saberes. Com brechós, café, performances cênicas e shows, o festival espera proporcionar, entre uma atração e outra, um espaço para descontração, diversão e conversas agradáveis.

O Festival acontece em Brasília, de 8 a 12 de setembro de 2010 nas Salas Martins Penna e Alberto Nepomuceno do Teatro Nacional Cláudio Santoro, e na cidade de Palmas -TO, de 22 a 26 de setembro de 2010, com extensa programação cultural composta por artistas dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Tocantins e Distrito Federal.

O ingresso para os espetáculos da Sala Martins Penna deverá ser trocado a partir das 17:00 na bilheteria do teatro por um pacote de absorvente íntimo feminino a ser doado para instituições de atendimento à mulher no Distrito Federal. As demais atividades tem entrada franca.

Confira a programação do evento e maiores informações no Blog  Achabrasília.

Clique para aumentar

Clique para aumentar

PolíciaMilitar_DFVanusa Nara de Oliveira Almeida é a primeira coronel da Polícia Militar do Distrito Federal.

A Policia Militar do Distrito Federal (PMDF), já conta com a primeira coronel da corporação. Na manhã desta segunda-feira (30/8), a policial Vanusa Nara de Oliveira Almeida, 51 anos, foi promovida ao mais alto grau de hierarquia da PM.

No pátio da Academia de Polícia Militar de Brasília (APMB), o governador do Distrito Federal, Rogério Rosso, entregou a nova divisa (insígnia que identifica os coronéis da PMDF) à mais nova coronel.

Em 1983, a policial militar ingressou na PM como soldado pela primeira turma de praças femininas. Desde então, passou pelos postos de tenente, capitão e tenente-coronel. Ela está na corporação há 28 anos e já comandou a 16ª Compahia de Polícia Militar Independente (CPMInd), em Águas Claras e a 15ª CPMInd, no Lago Sul.

Na ocasião, 2.300 praças e oficiais também foram promovidos. Além disso, o governador Rogério Rosso foi homenageado pelo seu aniversário de 42 anos que é comemorado hoje. A Coronel Vanusa entregou uma placa ao governador ao som de parabéns, tocado pela banda sinfônica da PM.

Com informações do Portal Correio Braziliense

Socióloga estima que número de deputadas federais passará de 45 para 54, o equivalente a 10,5% do total.

Mais otimista, projeção do IBGE em julho previa crescimento para 63, ou 12,2% dos parlamentares

Carolina Pompeu

O número de deputadas na Câmara deverá saltar de 45 para 54 na próxima legislatura, que começa em 2011. A previsão é de Maria Lúcia de Santana Braga, socióloga da Secretaria de Políticas para as Mulheres, em estudo feito para o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Caso a projeção se confirme, a representação de mulheres na Câmara passará de 8,7% para 10,5% do total de deputados.

Em julho, o demógrafo José Eustáquio Alves, professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), havia divulgado outro estudo sobre o aumento da bancada feminina na Câmara. A projeção do demógrafo, contudo, foi mais otimista. Segundo ele, poderão ser eleitas 63 parlamentares para a Câmara este ano, o que representará 12,2% do total de deputados.

Aumento – Ambos os estudos apontam que o aumento no número de candidatas ao cargo de deputada federal é a principal causa para as projeções de crescimento da representação feminina na Câmara. Este ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu no total 1.350 pedidos de candidaturas femininas. Em 2006 e 2002, foram 737 e 490 candidatas, respectivamente.

Esse aumento, segundo Maria Lúcia, decorre principalmente da Lei 12.034, publicada em 2009. A chamada minirreforma eleitoral estabeleceu que os partidos políticos deverão preencher, no caso das candidaturas proporcionais – Câmara e Legislativos estadual e municipal – ao menos 30% de suas vagas com candidaturas de cada gênero. Antes, a Lei Eleitoral (9.504/97) determinava apenas a “reserva” de 30% das candidaturas, o que abria espaço para que os partidos não preenchessem essas vagas.

A minirreforma também alterou a Lei dos Partidos Políticos (Lei 9096/95) para determinar que pelo menos 5% dos recursos do fundo partidário deverão ser aplicados em programas para mulheres. Outra mudança é que no mínimo 10% do tempo destinado à propaganda partidária gratuita deverá ser dedicado às mulheres.

Descumprimento – Apesar da norma sobre as cotas para mulheres nas disputas proporcionais, os registros no TSE mostram que a regra não está sendo cumprida na maioria das unidades da federação. Dados do início de agosto indicam que apenas Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina conseguiram alcançar a proporção mínima de candidatas. Nos estados de Pernambuco e Goiás estão os piores índices, com 8% e 10% de postulantes mulheres ao cargo de deputada federal, respectivamente. No total, apenas 22% das candidaturas à Câmara em todo o País são femininas.

Caso a regra valesse também para as candidaturas majoritárias – Executivos federal, estadual e municipal mais o Senado –, não seriam cumpridos os 30%. A melhor situação aparece na disputa presidencial, com 2 mulheres concorrendo contra 7 homens – proporcionalmente, porém, a relação é a mesma registrada no caso da Câmara: são 22% de mulheres contra 78% de homens.

No caso dos governos estaduais e do Senado, a relação é praticamente uma mulher contra nove homens. Segundo dados do TSE, as candidatas aos governos estaduais são apenas 11% do total. No caso do Senado, a relação é ligeiramente melhor, e as postulantes somam 13% do total de pedidos de registro.

Importância – Em entrevista ao Jornal da Câmara em julho, o professor José Eustáquio Alves, do IBGE, disse que as cotas não só garantem mais espaço às mulheres na política, como favorecem uma mudança gradual no comportamento feminino. “Com a obrigatoriedade de um número mínimo de candidatas, os partidos se veem obrigados a preparar as mulheres para a vida pública, seja oferecendo cargos em secretarias de estado ou empresas públicas, por exemplo, ou até na própria executiva do partido. A ideia é que os partidos invistam na qualificação das mulheres e, assim, elas participem cada vez mais do jogo político.”

Agnes Gonxha Bojaxhiu, Madre Teresa de Calcutá, completaria 100 anos hoje.

Madre Teresa de Calcutá
Madre Teresa de Calcutá

CALCUTÁ, 26 Ago 2010 (AFP) -Uma missa solene em Calcutá abriu nesta quinta-feira as homenagens ao centenário do nascimento de Madre Teresa, a “santa dos pobres” que dedicou a vida a ajudar os necessitados desta cidade superpovoada do leste da Índia.

A missa, presidida pelo cardeal Telesphore Placidus Toppo, foi oficiada na sede da congregação das Missionárias da Caridade, fundada po Madre Teresa em 1950.

Durante a missa, que teve a presença de 1.000 pessoas, o cardeal leu uma mensagem do papa Bento XVI. Centenas de fiéis ficaram do lado de fora da capela por falta de espaço.

Ao fim da missa, as sucessoras de Madre Teresa, Sor Nirmala e a atual presidente da congregação, Sor Prema, soltaram pombas em sinal de paz e compaixão.

Nascida em Skopje (Macedônia) em 26 de agosto de 1910, Madre Teresa, cujo nome era Agnes Gonxha Bojaxhiu, chegou como freira à Índia em 1929 e obteve a nacionalidade indiana em 1951.

Depois de uma vida dedicada aos pobres, enfermos e desabrigados dos bairros pobres de Calcutá a partir de 1948, Madre Teresa recebeu o prêmio Nobel da Paz em 1979. Ela faleceu em 1997 e foi beatificada por João Paulo II em 2003.

Com informações do Portal UOL

Elas fazem diferente

Rodrigo Rocha Loures

Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep)

Evidenciar o papel da mulher na sociedade, na política e no mundo empresarial tem sido estimulado devido à participação de duas mulheres nas candidaturas à Presidência da República. Felizmente, nesse quesito, o número de países democráticos que tiveram ou têm uma mulher como líder nacional está aumentando: Alemanha, Inglaterra, Índia, Canadá, Chile, Argentina, etc. As leis da natureza fazem com que haja diferenças óbvias entre homens e mulheres. No campo da política, por exemplo, percebemos que a presença feminina contribui, dentre outros, para elevar a qualidade do diálogo, pois quando elas estão presentes o jogo de força, eventualmente bruto e mesmo sujo, é menos frequente e os bons modos no trato interpessoal prevalece.

No campo da economia, uma das maiores autoridades mundiais na área de empreendedorismo, o pesquisador canadense Louis Jacques Filion, analisou o empreendedorismo feminino mundial e constatou que no mundo dos negócios as mulheres têm mais conhecimento do mercado, são mais bem preparadas, progridem mais lentamente, porque tomam conta da família; planejam melhor o início de seus negócios e têm uma integração maior entre suas atividades pessoais e profissionais. E, o mais surpreendente, 25% das mulheres acreditam que são mais mal tratadas do que os homens pelas instituições de crédito pelo fato de serem mulheres.

As mulheres têm um estilo de gerenciamento mais participativo, se importam mais com seus empregados e clientes, não usam o mesmo critério dos homens para definir sucesso, gastam mais tempo e recursos com seus entes queridos, são mais envolvidas em atividades voluntárias para ajudar a comunidade e apontam mais razões familiares para iniciar seus negócios. A presença da mulher está evoluindo nos pequenos negócios, nas empresas familiares, como profissionais liberais e em posições de liderança nas empresas. Considerando as características femininas, acreditamos que novas políticas devem ser criadas para aumentar a participação das mulheres no mundo dos negócios.

Destaco o treinamento adequado dos agentes de crédito no atendimento do público feminino. Nesse ponto é oportuno citar o Grameen Bank, fundado em 1976 em Bangladesh, pelo economista Muhammad Yunus, prêmio Nobel da Paz, que conseguiu retirar milhões de pessoas da pobreza extrema através de pequenos empréstimos produtivos concedidos a mulheres. Perguntado por que emprestar somente às mulheres, Yunus responde que, além de empreendedoras, elas são altamente responsáveis pela sobrevivência das suas famílias e boas pagadoras.

No Brasil já temos 35% das famílias chefiadas por mulheres, mas a sua representação política ainda é desproporcional à contribuição econômica. Por isso devemos juntos, homens e mulheres, inventar ações mais ousadas que favoreçam a presença feminina na política para que o imenso potencial feminino, historicamente represado, possa se manifestar na sua plenitude. Essa é uma condição preliminar para a construção da sociedade harmoniosa, dinâmica e sustentável que todos desejamos!

logo_gooc_250

Empresa Brasileira aposta na união da reciclagem com moda e bom gosto.

Toda empresa tem como objetivo a criação ou maximização da riqueza e a geração de lucro.

Com a Goóc não é diferente, porém, sua história, desde a origem, atesta que podemos sim esperar obter um crescimento empresarial por meio de práticas ambientais sustentáveis.

Veja o exemplo:

A Góoc é uma empresa de calçados ecológicos que quer estimular o consumo consciente dos brasileiros fabricando sandálias com sola de pneu reciclado.

O mundo se debate com o problema do dejeto de pneus que já não podem ser reaproveitados. No Brasil produzimos aproximadamente 40 milhões de pneus por anos e quase metade desta produção será descartada neste mesmo período.

Sendo assim, essa empresa contribui de forma decisiva porque usa 2,5 milhões de pneus como insumo para a fabricação do seu principal produto: Sandálias.

Sandálias da coleção LaVie

Sandálias da coleção LaVie

Agora eles nos lançam um desafio de peso: querem transformar 40 milhões de pneus inservíveis em 210 milhões de pares de sandálias até o ano 2014. Com esses números o Brasil poderá se tornar referência mundial em reciclagem de pneus.

As sandálias são confortáveis e de grande apelo entre os jovens, sendo que agora eles estão fabricando modelos para crianças também.

Esta é uma boa idéia.

Visite o site da Goóc

Soroptimist International-

O nome causa estranheza. Soroptimist? O que é isso?

Conheça essa organização e veja o quanto ela já tem feito aqui em Brasília em prol dos menos favorecidos.

Sua presidente atual, Jane Carol Azevedo, que recebeu a incumbência de liderar o grupo das mãos de Heloísa Hargreaves, nos fala do clube, de seus projetos em andamento e convida à participação.

Para se associar, ou mesmo ajudar, entre em contato pelo site Soroptimist Brasil

Marido e mulher do Quênia ganham a Meia Maratona do Rio

Joshua Kemei e Eunice Kirwa Foto: Globo.com

Joshua Kemei e Eunice Kirwa Foto: Globo.com

Rio de Janeiro (RJ) – Pela primeira vez na história, a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, que teve a sua 14ª edição disputada na manhã deste domingo, teve a vitória de um casal de corredores. Os quenianos Joshua Kemei e Eunice Kirwa, que moram juntos há cinco anos, na cidade Kasabet, e têm um filho, Kipchumba, de 3 anos e meio, foram campeões do masculino e do feminino da competição, que reuniu 18.000 inscritos, teve largada na Praia de São Conrado e chegada, 21.097 metros depois, no Aterro do Flamengo.

Com temperatura de 20 graus e 91% de umidade relativa do ar na largada, os corredores não tiveram muitas dificuldades para manter o ritmo estipulado pelos treinadores. Joshua Kemei forçou o ritmo desde o início e logo abriu grande vantagem. Já no feminino um grupo de seis atletas liderou a prova desde o começo, incluindo a brasileira Marily dos Santos, que acabou em quinto lugar e foi a corredora nacional mais bem colocada.

“A minha preocupação foi correr sempre na frente. Havia assumido o compromisso com o meu técnico (o brasileiro Moacir Marconi, o Coquinho) de vencer. Eu, na verdade, achava difícil ganhar, mas fiz muito esforço para conseguir o meu objetivo”, disse o campeão que manteve a liderança da metade da prova em diante.

Eunice Kirwa, que conquistou o bicampeonato na Meia do Rio – Joshua foi vice em 2009 -, teve maiores dificuldades. Ela deixou para arrancar nos últimos quilômetros, mostrando soberania absoluta. “Não foi fácil, mas não posso reclamar. Ganhei com a estratégia que montei”, comentou.

Eunice, que ganhou na semana passada as 10 Milhas de Vitória, contou que a saudade de seu filho é o seu maior drama no Brasil, onde pretende ficar até o dia 5 de novembro. “Ele fica com meus pais e só consigo matar a saudade por telefone. É difícil, mas faz parte de nossa profissão.”

Marido e mulher do Quênia ganham a Meia Maratona do Rio
Franck Caldeira surpreende e termina em segundo lugar, como o brasileiro mais bem colocado na prova
Rio de Janeiro (RJ) – Pela primeira vez na história, a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, que teve a sua 14ª edição disputada na manhã deste domingo, teve a vitória de um casal de corredores. Os quenianos Joshua Kemei e Eunice Kirwa, que moram juntos há cinco anos, na cidade Kasabet, e têm um filho, Kipchumba, de 3 anos e meio, foram campeões do masculino e do feminino da competição, que reuniu 18.000 inscritos, teve largada na Praia de São Conrado e chegada, 21.097 metros depois, no Aterro do Flamengo.
Com temperatura de 20 graus e 91% de umidade relativa do ar na largada, os corredores não tiveram muitas dificuldades para manter o ritmo estipulado pelos treinadores. Joshua Kemei forçou o ritmo desde o início e logo abriu grande vantagem. Já no feminino um grupo de seis atletas liderou a prova desde o começo, incluindo a brasileira Marily dos Santos, que acabou em quinto lugar e foi a corredora nacional mais bem colocada.
“A minha preocupação foi correr sempre na frente. Havia assumido o compromisso com o meu técnico (o brasileiro Moacir Marconi, o Coquinho) de vencer. Eu, na verdade, achava difícil ganhar, mas fiz muito esforço para conseguir o meu objetivo”, disse o campeão que manteve a liderança da metade da prova em diante.
Eunice Kirwa, que conquistou o bicampeonato na Meia do Rio – Joshua foi vice em 2009 -, teve maiores dificuldades. Ela deixou para arrancar nos últimos quilômetros, mostrando soberania absoluta. “Não foi fácil, mas não posso reclamar. Ganhei com a estratégia que montei”, comentou.
Eunice, que ganhou na semana passada as 10 Milhas de Vitória, contou que a saudade de seu filho é o seu maior drama no Brasil, onde pretende ficar até o dia 5 de novembro. “Ele fica com meus pais e só consigo matar a saudade por telefone. É difícil, mas faz parte de nossa profissão.”

Ig
agosto 2010
D S T Q Q S S
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
Curta!
Mulheresnopoder