"Ajudando as mulheres a liderar, vencer, governar." ✫Desde 2009✫

Arquivos para a setembro, 2009

Alienação parental: um novo tipo de crime

Pais ou mães separados que detêm a guarda dos filhos muitas vezes procuram fazer com que estes não tenham mais contato, ou até que passem a odiar o outro genitor. Esse comportamento tão antigo e tão prejudicial às crianças e adolescentes é denominado de “síndrome da alienação parental” e até hoje não tem uma definição legal.

No entanto, esta realidade pode mudar. Tramita na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei (PL) n° 4053/08, que cria instrumentos para punir o pai que incitar o filho a odiar a mãe – ou vice-versa – após a separação. De autoria do deputado Regis de Oliveira (PSC-SP), a proposta já foi aprovada pela Comissão de Seguridade Social e Família na forma do substitutivo do deputado Acélio Casagrande (PMDB-SC), e agora passa pela Comissão de Constituição e Justiça.

O substitutivo de Casagrande amplia a proposta e define como alienação parental também a interferência de mesma natureza promovida ou induzida também pelos avós ou pelos que tenham a criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância.  

Se ficar caracterizada a alienação parental, o juiz poderá advertir e multar o responsável, ampliar o regime de visitas em favor do genitor prejudicado, determinar intervenção psicológica monitorada, determinar a mudança para guarda compartilhada ou sua inversão e suspender ou decretar a perda do poder familiar. 

De acordo com o substitutivo, são formas de alienação parental:

- Realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade;

- dificultar o exercício do poder familiar;

- dificultar o contato da criança com o outro genitor;

- omitir deliberadamente ao genitor informações pessoais relevantes sobre o filho, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço para lugares distantes, visando a dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós; e

- apresentar falsa denúncia contra genitor, contra familiares deste ou contra avós, para obstar ou dificultar sua convivência com o filho. 

*Com informações da Agência Câmara

Festa do Pijama 2009

Festa do Pijama 2009

Paraense é primeira mulher a se tornar comandante da Marinha Mercante brasileira

Nesta segunda-feira (28), a paraense Hildelene Lobato Bahia assumiu o comando do navio Carangola, da frota da Petrobras Transporte S.A (Transpetro). Ela é a primeira mulher a se tornar comandante da Marinha Mercante brasileira, posto mais alto da hierarquia marítima e que antes só era alcançado por homens. Hildelene tem agora sob sua inteira responsabilidade uma embarcação de grande porte para cabotagem.

O navio assumido por Hildelene tem capacidade de 18 mil toneladas de porte bruto, transporta derivados escuros de petróleo entre portos da costa brasileira, uruguaia e argentina. Mas a comandante está preparada, afinal, já navegou 486 mil milhas, mil vezes e meia a distância da terra Terra à Lua, e já ficou 1,7 mil dias trabalhando no mar.

Mas Hildelene não é a única mulher na Transpetro. Até o ano de 2000, a frota de petroleiros da companhia era um reduto masculino. Isso mudou, e hoje mais de 100 mulheres desempenham diferentes funções a bordo. São elas oficiais de máquinas e de náutica, auxiliares de saúde, bombeadoras, eletricistas e auxiliares de convés.

*Com informações da Transpetro

Sem medo, mulheres falam sobre aborto em documentário

Hoje (28) é o Dia da Luta pela Descriminalização do Aborto da América Latina e Caribe. Por isso, cinco canais de televisão, abertos e a cabo, exibirão durante a semana o documentário “Fim do Silêncio”, sobre o aborto inseguro. Pela primeira vez, mulheres de três estados brasileiros, de diferentes idades, religiões, classes sociais e profissões falam para a câmara como e porque fizeram aborto, sem esconder seus rostos e identidades.

O documentário, de Thereza Jessouron, confirma que o aborto inseguro é um dos mais graves problemas de saúde pública do Brasil. Além disso, demonstra que a criminalização não está impedindo milhares de mulheres de fazerem o aborto, correndo risco de morte e submetendo-se a seqüelas físicas e psicológicas.

Confira os horários e canais de exibição do filme:

28/09 – TV Sesc, às 19h30

28/-09 – Canal Futura, às 22h30

29/09 – TV Câmara, às 22h30

01/10 – TV Cultura, às 23h10

Veja trechos do documentário:

*Com informações do Cfemea

Confira a programação dos temas de interesse das mulheres no Congresso Nacional, de 28 de setembro a 2 de outubro

Terça-feira

Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado
Entre as 20 propostas na pauta, constam a que altera a Lei de Execução Penal, para instituir a hipótese de remição de pena pelo estudo, e a que dispõe sobre a capacitação de profissionais da educação básica na identificação de efeitos decorrentes de maus-tratos e de abuso sexual praticados contra crianças e adolescentes. A reunião acontece na sala 15 da Ala Alexandre Costa, às 11 horas.

CPI da Violência Urbana na Câmara
Audiência pública sobre o diagnóstico da violência do País. Foram convidados o secretário executivo do Pronasci, Ronaldo da Silva, e o secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri. O plenário ainda não foi definido, mas a audiência acontecerá às 14 horas.

CPI das Crianças e Adolescentes Desaparecidos na Câmara
Além da votação de requerimentos, acontecerá uma audiência pública. Foi convidada a presidente da Comissão da Criança e do Adolescente da Câmara Legislativa Municipal do Rio de Janeiro, vereadora Liliam Sá de Paula. A reunião acontece às 14h30 em plenário a definir.

Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara
Audiência pública sobre a situação dos benefícios previdenciários de auxílio-doença e sua conversão em aposentadoria por invalidez. Foram convidados o ministro da Previdência, José Pimentel, o presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas, Warley Gonçalles, e o desembargador presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Jirair Megueriam. A audiência acontece no Plenário 7, às 14h30.

Quarta-feira

Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara
Será realizada audiência pública sobre a Reforma Psiquiátrica Antimanicomial, em apoio à marcha a Brasília dos usuários de serviços de saúde mental. Foram convidados, entre outros, os representantes da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial, Marcus Oliveira, e da Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia, Fernanda Otoni. A reunião acontece no Plenário 9, às 14h.

Quinta-feira

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado
Audiência pública para debater a PEC 33/09, que dispõe sobre a exigência do diploma de curso superior de Comunicação Social, habilitação em jornalismo, para o exercício da profissão de jornalista. A audiência será realizada na sala 3 da Ala Alexandre Costa, às 10h.

Comissão Especial dos Juizados Especiais para Questões Relativas às Mulheres da Câmara
A comissão se reúne para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 485/05 que cria varas específicas para questões relativa às mulheres nos juizados especiais. Nesta reunião serão elegidos os vice-presidentes e definidas audiências públicas. O encontro acontece no Plenário 6, às 10h.
Plenário 6, às 10h.

Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara
Acontece audiência pública sobre o PL 4053/08, que dispõe sobre a alienação parental. Foram convidados, entre outros, a advogada Berenice Dias, o juiz Elizio Peres e a representante do Conselho Federal de Psicologia, Cynthia Ciarallo. A audiência será no Plenário 1, às 10h.

Sessão extra no Plenário da Câmara

O Plenário da Câmara dos Deputados deve analisar, em sessão extraordinária, o Projeto de Resolução n° 52/07, de autoria da deputada Bel Mesquita (PMDB-PA), que concede às deputadas os benefícios da licença-adotante. A licença é estipulada em 120 dias nos casos de criança com até um ano de idade, 60 dias para crianças entre um e quatro anos e 30 dias entre quatro e oito anos. A matéria estabelece, ainda, cinco anos de licença para deputados adotantes de crianças de até oito anos.

Com informações do Congresso em Foco.

Eugênio Bucci abre seminário em Brasília

Eugênio Bucci

Eugênio Bucci

O seminário “Mutações, a experiência do pensamento” apresenta no próximo dia 28 de setembro, a palestra “Imagem-língua, imagem-mercadoria, imagem sem imaginação: a fabricação industrial de signos visuais num tempo em que o olhar não se distingue do trabalho”, ministrada pelo doutor em Ciências da Comunicação, jornalista e professor, Eugênio Bucci. A apresentação acontece às 19h, no Teatro da CAIXA Cultural Brasília.

No encontro, Bucci aborda a comunicação na era digital, com as chamadas ”redes interconectadas“, e propõe como ícones na tela do computador ou no celular articulam uma nova língua. Traz outros exemplos dessa nova língua como a filmografia mercadológica atual, em que imagem e fala reafirmam-se, e os games, que processam o mesmo discurso. Assim, mostra que o olhar tornou-se uma forma de trabalho, uma vez que é a partir dele que se geram os signos visuais.

Sobre Eugênio Bucci

Eugênio Bucci é doutor em Ciências da Comunicação. Foi professor de Ética Jornalística na Cásper Líbero em 2001 e 2002 e crítico de televisão e de cultura no Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo, Veja, entre outros veículos. Editou a revista Teoria & Debate entre 1987 e 1991. Foi secretário editorial da Editora Abril. Presidiu a Radiobrás de 2003 a 2007.

É atualmente colunista de O Estado de São Paulo e do Observatório da Imprensa e membro do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura de São Paulo). Publicou, entre outros livros, Brasil em Tempo de TV (Boitempo Editorial), Sobre Ética e Imprensa (Cia das Letras) e Videologias (Boitempo Editorial, em parceria com Maria Rita Kehl). No final de 2007 foi admitido como professor pelo Instituto de Estudos Avançados da USP.

Programação

O seminário “Mutações, a experiência do pensamento” ainda apresenta outras palestras:

28/09 às 19h – Eugênio Bucci

Imagem-língua, imagem-mercadoria, imagem sem imaginação: a fabricação industrial de signos visuais num tempo em que o olhar não se distingue do trabalho.

05/10 às 19h – Newton Bignotto

O bem comum e a vontade geral

07/10 às 19h – Antonio Cícero

A razão niilista, o intelecto e o espírito

08/10 às 19h – Renato Lessa

Em que sentido podem as crenças importar para a filosofia política?

Serviço

Seminário Mutações, a experiência do pensamento

Dia 28 de setembro de 2009 – Palestra “Imagem-língua, imagem-mercadoria, imagem sem imaginação: a fabricação industrial de signos visuais num tempo em que o olhar não se distingue do trabalho”, com o doutor em ciências da comunicação, Eugêncio Bucci.

Horários: Sempre às 19 horas

Valor da inscrição: R$ 30 e R$ 15 (estudantes)

Local: CAIXA Cultural Brasília – Teatro da Caixa

Endereço: SBS Qd. 4 Lote 3/4 – Térreo, anexo ao edifício Matriz da Caixa

Informações pelos telefones: (61) 3448-0352/54 (Cespe/UnB)

Inscrições pela internet: http://www.gie.cespe.unb.br

Brilho Intenso de Anne Hathaway em Passageiros

Extraordinário filme do diretor Rodrigo García,  filho do escritor Gabriel García Marquez, ainda traz vigorosa performance de Patrick Wilson.

José Jardelino da Costa Júnior

passageiros-cartazInstigante, inesquecível, marcante e inesperado. Quatro adjetivos que, apesar de poderosos, ainda são insuficientes para definir Passageiros (Passengers – EUA/Canadá, 2008), magistral trabalho do diretor colombiano Rodrigo García (Coisas Que Você Pode Dizer Só de Olhar Para Elas -2000) .

Suspense bem construído, narra a trajetória da terapeuta Claire Summers (Anne Hathaway), no momento em que é convocada pelo seu mentor (Andre Baugher) para dar assistência psicológica a cinco sobreviventes de desastre aéreo cercado de mistérios.

Mantendo o espectador em permanente estado de alerta, García joga o filme em quatro direções. O primeiro viés é o da pura e simples teoria da conspiração. Suspeitas surgem aos montes, indicando que a companhia aérea, que tinha acabado de perder outro avião meses antes — e por isso poderia falir, caso fossem comprovadas falhas nos seus serviços de manutenção — estaria escondendo informações cruciais ao esclarecimento do acidente. Evidências naquele sentido são intensificadas por lembranças esparsas dos sobreviventes acerca de umas das turbinas da aeronave em chamas, minutos antes da tragédia. Enquanto isso, o porta-voz da empresa insiste em reforçar o comunicado oficial que atribuía a falhas humanas (dos pilotos) a causa do acidente.

O roteiro então vira repentinamente na direção de tórrido romance, recheado por cenas calientes. Um dos sobreviventes é Eric (Patrick Wilson, de Pecados Íntimos – 2006, aqui lembrando Kevin Costner vinte anos mais novo). Ele descarta os serviços profissionais de Claire. Prefere assediá-la. E o faz apenas com o olhar. Intenso e apaixonado. Suficiente para fazê-la esquecer de todas as regras que proibem analistas de ter qualquer tipo de envolvimento com pacientes.

Nova guinada. Os outros sobreviventes começam a desaparecer sem deixar pistas. Claire dá uma pausa no seu intenso relacionamento com Eric e parte firmemente decidida na busca pelo esclarecimento de fatos que achava que lhe estavam sendo escamoteados, mesmo que aquela posição a colocasse em confronto com o amante, que passa a sofrer de alucinações diretamente ligadas ao caso. Torna-se misterioso e taciturno.

A quarta virada do filme é arrebatadora. Ao trazer as revelações de todos os enigmas plantados ao longo da história, o diretor Rodrigo García expõe o melhor do seu talento, ao tratar temas delicados, como a morte e a possibilidade de vida em outra dimensão, de forma sensível, humana e equilibrada. Muito equilibrada. Produz um final marcado pela fé e pela esperança. Belo filme. Parentesco direto com outra produção do gênero, O Mistério da Libélula (2003).

Registro especial para o desempenho dramático de Anne Hathaway, considerada, à epoca do Oscar, em fevereiro passado, “a estrela do futuro imediato”. Na verdade ela já o é, aos 27 anos ainda incompletos. Sua atuação, de novo magnífica, em O Casamento de Raquel (2008) , que lhe rendeu indicação à estatueta de Melhor Atriz, carimbou seu passaporte rumo ao podium onde pontificam divas como Audrey Hepburn e Jude Garland.

Lygia, a recordista

Livro conta história de brasileira que mais teve mandatos parlamentares

Lygia Lessa Bastos

Lygia Lessa Bastos

Dona do recorde mundial de mulheres que mais tiveram mandatos parlamentares consecutivos, Lygia Maria Lessa Bastos terá sua biografia lançada na próxima terça-feira (29), no Rio de Janeiro. Escrito por Ana Arruda Callado, o livro “Lygia, a recordista” conta um pouco sobre a vida da mulher que foi atleta, professora, vereadora, deputada estadual e deputada federal.

Lygia se candidatou dez vezes e ganhou todas. Foi

Ana Arruda Callado

Ana Arruda Callado

vereadora eleita em 1947 e continuou na vida pública por 40 anos. Durante seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, de 1975 a 1979, foi a única mulher a ocupar o cargo parlamentar. Udenista e combativa, Lygia não poupou palavras para criticar o que considerava errado, mesmo em relação a companheiros de partido. Hoje a ex-deputada tem 90 anos de idade.

O lançamento do livro “Lygia, a recordista” será realizado na próxima terça-feira (29), às 18 horas, no restaurante Lamas, que fica na rua Marquês de Abrantes.

Thiago Lacerda dá força para campanha

Não é só a beleza de Thiago Lacerda que faz bem para as mulheres. As atitudes do ator também trazem benefícios a elas. Isso porque o bonitão abraçou com tudo a campanha Avon Contra o Câncer de Mama. A imagem do ator na iniciativa funciona como um apelo para que homens e mulheres fiquem atentos, pois a doença pode ser curada, mas para isso é preciso que seja descoberta cedo.

A Avon confeccionou camisetas para vender e contribuir com centros de prevenção de câncer de mama no Brasil. Para cada peça vendida, R$ 4,50 são doados. O modelo feminino custa R$ 15 e o masculino R$ 12, e podem ser comprado nos folhetos de cosméticos da empresa.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) estimam que somente neste ano cerca de 50 mil mulheres sofrerão com o câncer de mama no Brasil. Cerca de 10 mil mulheres morrem todos os anos porque em 60% dos casos a doença é detectada em estágio avançado. Portanto, a visita periódica ao médico e o auto-exame são extremamente importantes.

Ela Wiecko é a nova corregedora-geral do MPF

elawiecko11-300x214

Da Redação

A subprocuradora-geral da República Ela Wiecko é a nova corregedora-geral do Ministério Público Federal (MPF). Após analisar lista tríplice na última terça-feira (22), o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, nomeou Ela para o cargo.

No MPF há cerca de 30 anos, Ela foi promovida em 1992, por merecimento, como subprocuradora-geral. Em sua carreira, a jurista sempre se empenhou nas questões dos direitos humanos, na erradicação do trabalho escravo e na defesa dos direitos dos portadores de deficiência.

Ela concorreu, em junho deste ano, ao cargo de procurador-geral do MPF, mas perdeu a posição para o Gurgel, nomeado pelo presidente Lula. Nunca uma mulher comandou a Procuradoria.

Na mesma sessão também ficou definido, por maioria dos votos, o nome da subprocuradora-geral da República Raquel Elias Dodge como suplente da 6ª Câmara de
Coordenação e Revisão.

Ig
setembro 2009
D S T Q Q S S
« ago   out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Curta!
Mulheresnopoder